TAREFA nº2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

TAREFA nº2

Mensagem  profleo em Qua Ago 29, 2012 7:43 pm

Observe a imagem e leia os dois textos abaixo.



Menores emissores pagarão a conta

A questão central da mudança do clima é: como ela irá afetar a humanidade? Um novo estudo sobre a questão estimou quais regiões do mundo são as mais vulneráveis, e comparou as áreas de vulnerabilidade com um mapa global de emissões de dióxido de carbono. O resultado: aquelas que contribuem menos com as emissões são as mesmas regiões que serão mais afetadas pelos impactos da mudança do clima.

Para estimar o impacto sobre as pessoas, cientistas da Universidade McGill, de Montreal, criaram uma nova métrica chamada de Índice Demográfico de Vulnerabilidade ao Clima. Ele leva em consideração como vai mudar um clima regional, e como a população deverá crescer. Incorporaram este índice a um mapa global e descobriram que as regiões mais vulneráveis incluem a América do Sul, o Oriente Médio e o leste e sul da África. As regiões menos vulneráveis ficam em sua maior parte no Hemisfério Norte.

Depois, os autores do estudo criaram um mapa de emissões nacionais de CO2 per capita. Segundo eles, os impactos mais severos recaem sobre os menores emissores. O estudo não examina a questão de quais países são menos capazes de se adaptar às mudanças. Mas nem é preciso muito imaginação para saber que países pobres tem menos infraestrutura para lidar com o problema.

A pesquisa cita aqueles que tentam atrasar medidas contra a mudança do clima., e que dizem que "os limites de CO2 irão atingir os pobres". Isto é um código que quer dizer que "países ricos e desenvolvidos devem poder poluir o quanto entenderem". Este é um risco moral. Se aqueles que estão emitindo mais são os menos atingidos pelos impactos do aquecimento global, como podemos motivá-los a mudar?
Fonte: http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/planeta-urgente/mudanca-clima-afeta-mais-pobres-287491/
_____________________________________________________________________________

Aquecimento global prejudicará mais países pobres, diz estudo

Estudo divulgado recentemente pelo Instituto Internacional de Sistemas de Análise Aplicados, divulgou que o aquecimento da Terra deve prejudicar a produção mundial de alimentos, mas as maiores vítimas devem ser 40 países dentre os mais pobres do mundo.

"Os países em desenvolvimento contribuíram pouco, até agora, com o aquecimento global. No entanto, muitos desses países devem arcar com a maior parte dos danos provocados pelas mudanças climáticas. Esses danos se verificarão principalmente por meio de perdas na produção de alimentos" mostrou uma crescente distância entre os países mais ricos e os mais pobres no que diz respeito à produção de alimentos.

De um modo geral, os países localizados nas proximidades da Linha do Equador, área em que se encontra a maior parte dos Estados mais pobres do mundo, sofrerão mais com a elevação das temperaturas, enquanto as terras frias próximas dos pólos ficarão mais férteis.

As temperaturas mais altas e a diminuição no fornecimento de água devem prejudicar a produção de alimentos em países mais pobres.

As regiões mais atingidas abrigam cerca de 2 bilhões de pessoas e, dessas, 450 milhões encontram-se neste momento subnutridas.

Países como a Índia, Bangladesh, Brasil e vários países da África subsaariana devem assistir a uma queda de até um quarto em sua produção de cereais até o ano 2080.
Fonte: http://www.frigoletto.com.br/Ecologia/aquecglob.htm
_____________________________________________________________________

Nos capítulos 11, 12 e 13 do nosso livro de Geografia, os problemas ambientais foram estudados como uma questão global, que afeta o mundo todo. Apesar de global, o problema ambiental expõe, como nenhum outro, a imensa desigualdade econômica no mundo. Com base no que você já estudou e no texto que você acabou de ler, procure demonstrar como os fatores que contribuem para as mudanças climáticas:
a) se produzem desigualmente nas diversas regiões do mundo;
b) têm diferentes níveis de consequência, de acordo com o nível de desenvolvimento econômico e social da região.


Requisitos:
- No mínimo 100 palavras cada resposta;
- Fazer uma citação de um autor, um artigo de um site, lembrando de colocar a fonte em pelo menos uma resposta.
- Prazo: 29/08 a 06/09 ás 23:59h
- Valor: 0,15 cada resposta de acordo com o que foi pedido: coerência, coesão, objetividade, conteúdo, ortografia e gramática.
- Não esquecer de colocar devida identificação.
avatar
profleo
Admin

Mensagens : 87
Data de inscrição : 31/07/2011
Idade : 30

Ver perfil do usuário http://geografiacsa.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TAREFA nº2

Mensagem  Amanda em Sex Ago 31, 2012 5:27 pm

A) Primeiramente, é necessário entender os aspectos fisiológicos e climáticos naturais de determinada região, e o porque as mesmas são afetadas de forma a resultar mudanças desiguais em todas as parcelas do mundo, e entender melhor logo os continentes que menos emitem poluentes, sofrem tais consequências, ainda mais com grandes potências que estão no auge de agentes poluentes e que mesmo assim, os que não tem tanto a poluir acabam que por adentrarem a medidas para tentar evitar piores consequências, como explica Williams Marques Ferreira;
" As mudanças climáticas ocorrem de forma desigual, e muitos fatores contribuem para que ocorram tais diferenças, entre eles, podem ser destacadas as características próprias de cada região e sua localização em relação ao continente, distância do Equador etc. Todavia, de maneira bem simplificada, pode-se destacar como uma das principais causas da desigualdade do aquecimento global no planeta, a distribuição desigual dos continentes.O hemisfério sul apresenta menos porção continental e maior volume de água dos oceanos, os quais influenciam no volume de vapor d’água atmosférico, e contribuem para uma maior estabilização térmica desse hemisfério. De maneira geral, as altas latitudes, em ambos os hemisférios, serão as primeiras a ser afetadas devido, principalmente, à incidência de radiação solar ser desigual ao longo do ano, fazendo com que essas áreas possam se tornar futuramente mais úmidas. As regiões subtropicais poderão se tornar mais secas, e as regiões tropicais, por serem as mais estáveis, principalmente em termos de temperatura, deverão ser, possivelmente, as últimas a sofrerem consequências das mudanças climáticas."
Fonte:http://www.nossacasa.net/mc/default.asp?menu=10  study

B)De fato, a os diferentes níveis de consequências, variando de nível social e econômico, e o que não apenas é visto por nós, mas pesquisas conseguem afirmar tais consequências que países que menos emitem gases poluentes ou derivados, são os mais afetados atualmente por "catástrofes", fora a realidade de países desenvolvidos em diversos setores industriais , responsáveis pela emissão de gases e entre outros poluentes, não serem tão afetadas, e ainda não se afirmarem em medidas rigorosas, e querendo que, países menos desenvolvidos que não tem o tanto para tomar medidas, aderirem a mudanças contra os problemas ambientais.
"[...]os impactos causados pelas mudanças climáticas distribuem-se desigualmente, afetando os segmentos sociais mais vulneráveis, como as populações ribeirinhas, quilombolas e indígenass – pequenos agricultores, favelados, indigentes e pobres. [...] análise realizada no interior desses grupos de alta vulnerabilidade social, demonstram que as grandes diferenças nas condições socioeconômicas e demográficas,[...], comprova a desvantagem dos grupos acima citados.[...]consideram que as migrações causadas pela fome serão um grave problema social gerador de conflitos entre regiões e países. Assim, esses conflitos armados que podem eclodir pela luta para produzir alimentos, poderão causar consideráveis perdas de vidas humanas."  Só na América Latina, Segundo o IPCC:  “A capacidade de adaptação dos sistemas humanos na América Latina é escassa, particularmente com respeito a fenômenos climáticos extremos, com vulnerabilidade elevada."
Fonte:http://www.anppas.org.br/encontro4/cd/ARQUIVOS/GT2-314-228-20080510233307.pdf  study


 Like a Star @ heaven




Última edição por AvonGrapp em Sab Jul 20, 2013 10:31 pm, editado 6 vez(es)
avatar
Amanda

Mensagens : 12
Data de inscrição : 07/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta a atividade:D

Mensagem  andressa nobre em Sex Ago 31, 2012 11:47 pm

A) De acordo com os textos e os capítulos do livro podemos afirmar que os países que produzem fatores que contribuem para as mudanças climáticas não são todos, e as vezes com intensidades muito distintas , dessa forma os que são mais desenvolvidos tem a capacidade de emitir mais do que os que não tem muitas tecnologias ,por isso que há uma desigualdade entre o que produz e emite quem sofre as consequencias. Assim os de 1° mundo poluem mais do que os menos desenvolvidos. O que percebe-se com clareza nessa noticia:
''A emissão de carbono, que acentua o aquecimento global, ocorre de forma desigual no mundo -- por isso, as consequências das mudanças climáticas não são as mesmas em todos os países. Assim, no quesito emissão de carbono atual, China, Índia, Japão, Estados Unidos e Europa ganham formas gigantes, porque são os maiores emissores. América do Sul e África têm formas menores. Já quando se analisa o acumulado de emissões desde 1850 (sendo que "a maior parte delas ainda continua no ar", segundo projeto), o peso da Ásia diminui e a responsabilidade recai sobre América do Norte e Europa. ‘’
http://g1.globo.com/natureza/noticia/2012/03/mapa-interativo-mostra-distribuicao-desigual-de-emissoes-de-carbono.html


B) As diferenças nas consequências são evidentes, porém os distintos níveis dessas são tão claros que parecem normais aos países afetados(já que são menos notados ou desenvolvidos), pois os maiores emissores são os mais desenvolvidos economicamente, mas os que são altamente afetados são os pobres, como os do continente africano e é nesse contexto de desigualdade econômica que expandimos as outras diferenças como as geográficas,as sociais e ambientais.
Declaraçoes que são afirmadas através destes trechos:

‘’A grande responsabilidade assim como o dever de pagar a maior parte desta conta é dos países desenvolvidos. No acordo de Copenhagen, espera-se que os principais responsáveis pelo problema se comprometam a reduzir drasticamente suas emissões de gases de efeito estufa.’’
http://www.mudancasclimaticas.andi.org.br/content/mudancas-climaticas-e-transferencia-de-tecnologia

‘’Os especialistas em mudanças climáticas responsáveis pelo relatório da ONU dizem que a África é o continente que menos emite gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono. No entanto, devido à pobreza e à geografia, é esta a região que tem mais a perder. Símbolos disso são o aumento da desertificação em torno do Saara e a redução da capa de gelo do monte Kilimanjaro. Além disso, o relatório apontou grande probabilidade de que no futuro haja mais tempestades, secas e ondas de calor provocadas pela queima de combustíveis fósseis e outras atividades’’
http://clickeaprenda.uol.com.br/portal/mostrarConteudo.php?i
dPagina=


alien

andressa nobre

Mensagens : 25
Data de inscrição : 08/08/2011
Idade : 21

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem  Andreza S. em Sab Set 01, 2012 10:39 pm

a) As mudanças climáticas ocorrem de forma desigual nas diferentes regiões do planeta. Isso ocorre por causa dos diferentes fatores climáticos, a localização da determinada região e como a mesma reage à variação climática. Um outro fato muito importante para a desigualdade climática é como o país se posiciona quanto a poluição, se polui muito ou pouco a atmosfera, se tem meios que controlam a poluição e etc.

“O aumento nos níveis de dióxido de carbono e outros gases-estufa, como metano e óxido nitroso na atmosfera, são os responssáveis pelo aumento nas temperaturas globais nas últimas décadas (ainda não provado). No século 20, a temperatura do planeta aumentou em cerca de 0,6 º Celsius (1 º Fahrenheit). Pesquisa no NCAR e outras instituições indicou que há uma probabilidade de 90% que, entre 1990 e 2100, as temperaturas globais vão subir entre 1,7-4,9 º C (3,1-8,9 º C), devido a influências humanas sobre o clima. O aquecimento é provável que ocorra de forma desigual, com as regiões polares muito mais afetadas que os trópicos”

http://bussoladeplasma.wordpress.com/2012/08/19/mundanca-climatica-parte-1/

b) Diferentes níveis de desenvolvimento econômico e social da região interferem nas mudanças climáticas de todo o mundo. Pois os países mais desenvolvidos poluem mais, porém sofrem menos, pois suas avançadas tecnologias fazem com que eles não se prejudiquem com a poluição, já os países menos desenvolvidos sofrem com todas as conseqüências. O desenvolvimento social também ajuda para as mudanças climáticas, pois uma população bem instruída vai saber que não se deve poluir e vai ajudar o seu país no combate contra a poluição.

“A distribuição das causas e efeitos das mudanças climáticas não é igual nas várias regiões do mundo e nos diversos segmentos da sociedade. As emissões de gases de efeito estufa, atuais ou acumuladas ao longo do tempo, resultam prioritariamente dos países industrializados - cerca de 75% das emissões atuais são de sua responsabilidade. Fácil concluir daí que boa parte de sua riqueza deriva do consumo desproporcional dos recursos naturais globais, especialmente os que dizem respeito aos combustíveis fósseis. Os efeitos adversos das mudanças climáticas não são evidentemente eqüitativos, pois os países industrializados geraram suas riquezas com base na exploração predatória dos recursos naturais dos países em desenvolvimento e nesse processo histórico causaram 75% das emissões atuais acumuladas em gases de efeito estufa. Certo é que os efeitos de mudanças climáticas, aquecimento global e aumento do nível dos mares vão afetar gravemente os países nas regiões tropicais, podendo-se afirmar com segurança que os efeitos adversos das mudanças climáticas não são eqüitativos na medida em que alguns países estão sendo mais impactados apesar de terem aproveitado menos da exploração de seus recursos naturais. Também é certo que os países em desenvolvimento têm maior risco de sofrer com as mudanças climáticas mesmo advindo baixos níveis de aquecimento do planeta. Comunidades mais pobres também são mais vulneráveis aos impactos das mudanças climáticas, especialmente onde há pressão demográfica e ecossistemas frágeis, a exemplo das áreas de várzea em Bangladesh ou zonas de inundação, nos países insulares, bem como onde ocorreu a introdução de tecnologias inapropriadas às características dos ecossistemas locais que tiveram sua capacidade reduzida de resistir a essas perturbações (ex.: degradação do solo, introdução de novas espécies, etc.).”

http://vitaecivilis.org/home/index.php?option=com_zoo&task=tag&tag=Mudan%C3%A7as%20Clim%C3%A1ticas&app_id=1&Itemid=92

Andreza Freire bounce
avatar
Andreza S.

Mensagens : 6
Data de inscrição : 08/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta - TAREFA n°2

Mensagem  Ana Carolina Assumpção em Dom Set 02, 2012 12:38 pm

a) se produzem desigualmente nas diversas regiões do mundo
As mudanças climáticas ocorrem em todo o planeta e são as alterações no clima de determinada região. Sabemos que no mundo existem diferentes regiões com suas respectivas características e que há também as zonas climáticas na terra e que existem tipos de clima como os climas quentes, frios, temperados e de altitude e tudo isso são fatores que contribuem para uma distribuição desigual de mudanças climáticas no mundo e além disto á o aquecimento global que influência diretamente nas mudanças causando um aumento de calor.
''Mudanças climáticas globais estão ocorrendo e muito provavelmente continuarão a ocorrer nas próximas décadas. Esta hipótese está baseada em possíveis acréscimos, na atmosfera, da concentração de CO2 e outros gases responsáveis pelo efeito estufa. Estes acréscimos causariam, provavelmente, diferentes graus de impactos nos recursos hídricos nas diferentes regiões da Terra. Este artigo focaliza a sensibilidade do escoamento superficial e da umidade do solo às mudanças climáticas na região semi-árida do Nordeste do Brasil (NEB). A avaliação dos impactos das mudanças climáticas, na bacia de estudo, indica que reduções na precipitação e acréscimos na evapotranspiração potencial podem causar significante impacto no balanço hídrico, os quais podem provocar enorme repercussão sócio-econômica na região (e.g. falhas no suprimento de água para uso doméstico, industrial e agrícola).''
http://www.abrh.org.br/novo/detalha.php?id=530&t=An%E1lise+dos+Impactos+das+Mudan%E7as+Clim%E1ticas+em+Regi%E3o+Semi-%E1rida

b) têm diferentes níveis de consequência, de acordo com o nível de desenvolvimento econômico e social da região.
Todos os países no mundo se desenvolveram em ritmos diferentes em questões econômicas e isto se dá pela sua localidade e pelo grau de recursos que apresenta para cuidar da população, geralmente os países mais ricos tem mais tecnologia e segurança para alertar a sociedade caso ocorra alguma tragédia. Porém há países que mesmo ricos e com tecnologia vão sofrer com as mudanças climáticas como diz o autor em ''Sete países de economias diferentes, distribuídos por regiões distintas do globo, mas com um ponto em comum: a vulnerabilidade quando o assunto são as mudanças climáticas. O que os difere, nesse sentido? A capacidade para lidar com o problema. Isso é o que mostra um novo relatório da consultoria britânica de risco Maplecroft, divulgado em agosto, pela Revista Exame.O relatório destaca que, embora os desastres naturais ocorram em todo o mundo, a todo o tempo, alguns países acabam sofrendo menos com os estragos por conta da capacidade de recuperação. Embora a maior parte do Japão (40% da população) esteja mais susceptível a enfrentar ciclones tropicais do que as Filipinas, por exemplo, se ambos os países sofressem eventos semelhantes, morreriam 17 vezes mais pessoas nas Filipinas que no Japão, segundo estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU).O nível de risco foi calculado por meio de uma série de fatores, incluindo a robustez econômica, a força de governança e a infraestrutura.''
http://www.mobilizadores.org.br/coep/publico/consultarConteudo.aspx?TP=D&CODIGO=C201282714454383
-Ana Carolina albino

Ana Carolina Assumpção

Mensagens : 9
Data de inscrição : 03/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Reposta!

Mensagem  Thayanderson em Ter Set 04, 2012 8:01 pm

A) As mudanças climáticas são as alterações que ocorrem no clima de determinadas regiões, mas nos tempos atuais a grande maioria das regiões sofre com essas mudanças. Cada região possui um clima predominante que é alterado por conta da tamanha poluição que está em alta, e os paises que mais poluem são os mais desenvolvidos que emitem gases poluentes afetando os paises menos desenvolvidos que sobrevivem da agricultura. A posição do pais nos hemisférios, proximidade com as regiões polares também contribuem para essas mudanças.
"76% das emissões de gases do efeito estufa acumulados no mundo desde 1950 são provenientes de atividades econômicas em países industrializados, tais como EUA e Japão. Entretanto, existem sociedades mais vulneráveis às mudanças climáticas do que as consideradas responsáveis por sua ocorrência. Esta vulnerabilidade é dada 1) pela exposição física aos efeitos do aquecimento global, como áreas de maior incidência de furacões, maremotos, secas prolongadas etc. ou 2) pela limitada capacidade de adaptação, ou seja, algumas sociedades mais pobres tem menos dinheiro para investir e se prevenir das consequencias das mudanças climáticas. Para muitas das regiões menos desenvolvidas do planeta, essas duas situações podem ser encontradas pois são elas as com menor possibilidade de investimento nos setores humanos, de recursos naturais e econômicos."
fonte: http://scienceblogs.com.br/rastrodecarbono/2008/10/mudancas-climaticas-e-vulnerabilidade-dos-mais-pobres/

B)Os países que menos poluem são os que mais sofrem com as mudanças climáticas causadas pelos países onde o desenvolvimento é bem mais avançado. Como os países desenvolvidos possuem industrias que afetam a atmosfera terrestre, os países que vivem da produção agrícola e que são geralmente os países mais pobres como a áfrica sofrem mais por não usufruir de uma tecnologia avançada para ajudar como os mais ricos possuem. Com isso, as consequências serão bem mais drásticas em países pobres.
" Segundo o IPCC, regiões pobres como a África, a América Latina e a Ásia são as com menor oportunidade de adaptação e, portanto, as mais vulneráveis a mudanças na dinâmica das chuvas (com enchetes e secas), a diminuição na produção de alimentos, inclusive os oriundos da pesca, a perda de biodiversidade e a efeitos na saúde das pessoas. Ou seja, regiões onde há mais pobreza estão ainda mais suceptíveis aos efeitos das mudanças climáticas."
fonte: http://scienceblogs.com.br/rastrodecarbono/2008/10/mudancas-climaticas-e-vulnerabilidade-dos-mais-pobres/

"a produção agrícola poderá se beneficiar com o aumento do CO2. Por outro lado, a produção agrícola de determinados locais poderá sofrer com a diminuição das chuvas. Importantes áreas agrícolas do mundo, como o sudoeste norte-americano, poderão ser seriamente afetadas pelo efeito estufa, tornando-se áridas. Isso poderá provocar a escassez de grãos, por exemplo. Em conseqüência, seu preço se elevaria, agravando ainda mais o problema da fome no mundo. O Egito, por exemplo, poderia perder 15% de suas terras cultivadas, e Bangladesh, 14%. O arroz, principal gênero alimentício produzido na Ásia, é cultivado em deltas de baixas altitudes e planícies alagadas. A elevação de um metro no nível dos oceanos provocaria a inundação de muitas áreas de plantação de arroz e reduziria substancialmente a produção. O aquecimento global também favorecerá os insetos que vivem em áreas quentes. Pragas agrícolas, parasitas e patógenos tendem a proliferar sob rápido aquecimento. Acredita-se que a perda de safras por causa dos insetos aumente muito, demandando grande consumo de agrotóxicos."
fonte: http://www.ecolnews.com.br/efeitoestufa/impactos.htm

Thayanderson

Mensagens : 4
Data de inscrição : 03/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem  oliria em Qua Set 05, 2012 11:47 am

A) Sabe-se que cada lugar, estado ou regiao tem suas caracteristicas climaticas diferentes, sendo climas quente ou frio, e leva-se em consideração a epoca do ano em que se encontra. no entanto ha lugares no mundo que são desenvolvidos, subdesenvolvidos e outros pobres, consequentemente havera diferença nos agentes que provocam e causam complicaçoes nos fatores climaticos, tais como nos paises desenvolvidos e subdesenvolvidos, ha mais produção com a utilização de fabricas e etc. E ja nos paises pobres não ha tanta evoluçao e produçao de industrias tais quais os paises de classe social alta prejudicam mais dos que os pobres alterando e modificando cada vez mais os climas de cada região. E leva-se em conta que cada lugar e prejudicado alterando a sua caracteristica como nos lugares quentes, se tornam mais quentes e secos, ja nos lugares frios podem causar aquecimentos nas geleiras.
“Williams Pinto Marques Ferreira - As mudanças climáticas ocorrem de forma desigual, e muitos fatores contribuem para que ocorram tais diferenças, entre eles, podem ser destacadas as características próprias de cada região e sua localização em relação ao continente, distância do Equador etc. Todavia, de maneira bem simplificada, pode-se destacar como uma das principais causas da desigualdade do aquecimento global no planeta, a distribuição desigual dos continentes. O hemisfério sul apresenta menos porção continental e maior volume de água dos oceanos, os quais influenciam no volume de vapor d’água atmosférico, e contribuem para uma maior estabilização térmica desse hemisfério. De maneira geral, as altas latitudes, em ambos os hemisférios, serão as primeiras a ser afetadas devido, principalmente, à incidência de radiação solar ser desigual ao longo do ano, fazendo com que essas áreas possam se tornar futuramente mais úmidas. As regiões subtropicais poderão se tornar mais secas, e as regiões tropicais, por serem as mais estáveis, principalmente em termos de temperatura, deverão ser, possivelmente, as últimas a sofrerem consequências das mudanças climáticas.”
w w w . ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2867&secao=311

B) Bom levando-se em conta os diferentes niveis de desenvolvimento de cada região, podemos relatar que os paises mais desenvolvidos causam mais prejuizo porque as pessoas compram mais carros e o gas que e liberado do mesmo prejudica o ar da atmosfera e a camada de ozonio, assim como tambem as fabricas, o desmatamento e as queimadas que sao atos tipicos e comuns nos paizes desenvolvidos, ja nos paises pobres, eles não tem muita culpa pois não são atos frequentes de sua região, seu pais não tem condições de criar e sustentar algo do nivel como industrias, fabricas e outros. no entanto por consequencia de uns, todos pagam; mesmo havendo sua diferença de nivel de consequencia para aqueles que mais causam prejuizo.
"O aumento das temperaturas globais desafiam a capacidade do mundo de se desenvolver de forma sustentável. O clima afeta a todos os aspectos da vida, ameaçando o equilíbrio ecológico, desenvolvimento econômico, segurança alimentar e harmonia social. Por isso, esforços mundiais são necessários para reduzir o aquecimento global e seus efeitos através de novas fontes de energia e desenvolvimento de tecnologia."
w w w . yarabrasil.com.br/sustainability/shaping_issues/climate_change/index.aspx

lila.

oliria
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem  Deborah de Paula em Qua Set 05, 2012 7:41 pm

a) Primeiramente o que deve ser analisado para desigualdade de tais mudanças climáticas, são as próprias condições de diversas regiões globais. Como foi afirmado no texto, os países em desenvolvimento, que consequentemente geram menos causadores para o aquecimento global e a acentuação do efeito estufa, serão os que mais sofrerão com as consequências destas mudanças climáticas, afinal o hemisfério sul, que é a parte menos causadora, apresenta menor quantidade territorial, porém contém o maior volume de água dos oceanos, os quais influenciam no volume de vapor d’água atmosférico, e contribuem para uma maior estabilização térmica desse hemisfério, afirma Williams Pinto. Porém o hemisfério norte onde localiza-se os países desenvolvidos que produzem a maior quantidade de CO2, por se encontrar perto dos polos, sofrerão bem menos com isso, além das causas inversas das consequências que serão adquiridas pelo hemisfério sul.
http://www.ecodebate.com.br/2009/10/22/instabilidade-deve-marcar-mudancas-climaticas-entrevista-com-williams-pinto-marques-ferreira/

b) O nível de desenvolvimento econômico e social INFELISMENTE contribui e muito para as divergências existentes entre países. O que deveria impulsionar as grandes nações para menor degradação ao nosso meio ambiente, que seriam as consequências trazidas pela irresponsabilidade do capital que busca apenas o lucro, acaba ocorrendo com os países subdesenvolvidos que tem pouca parcela de culpa, e arcam com as consequências de tal degradação feita por grandes polos industriais. Portanto sim, há diferença dependendo do nível de desenvolvimento do país, e assim os mais pobres pagam pelos mais ricos, e o ricos continuam em seu individualismo, não se importando com as consequências, já que isso não os afeta.

Deborah alien

Deborah de Paula

Mensagens : 6
Data de inscrição : 09/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TAREFA nº2

Mensagem  yasmin araujo em Qua Set 05, 2012 9:30 pm

A)Devido a industrialização nos países de primeiro mundo , há também a poluição que afeta principalmente os países menos desenvolvido ,devido a sua localização e também pouca infraestrutura podendo ocasionar com mais facilidade grandes catástrofes.Mas isso também e ocorrência da super população que cresce demasiadamente em pouco espaço que também é um fator muito importante,com a estrutura precária, os países mais pobres tendem a sofrer muito mais do que os próprios emissores de Dioxido de carbono.Devido ao problema econômico de vários países em desenvolvimento só piora mais por que sem a ajuda financeira não tem como achar uma solução cábivel para melhorar e evitar catástrofes futuras.

Os resultados do levantamento do subprojeto Empresas revelaram o quanto a questão da adaptação ainda é um tema incipiente no universo empresarial, apontando a necessidade de que o assunto se torne objeto de capacitações que possibilitem às empresas desenvolver projetos que contemplem os aspectos sociais e ambientais das mudanças climáticas. De acordo com os dados apurados em campo, as empresas desenvolvem predominantemente ações de mitigação visando reduzir a emissão dos gases que contribuem para o efeito estufa. Já as iniciativas de adaptação das comunidades são menos frequentes e, geralmente, realizadas em conjunto com outras iniciativas. Os resultados indicam também que ainda são pouco praticadas pelas empresas ações relativas à preparação das comunidades para enfrentar os eventos climáticos extremos, citadas por apenas 39% dos entrevistados, e as ações de saúde relacionadas às mudanças climáticas, desenvolvidas por 33% das empresas. Quanto ao subprojeto Populações Vulneráveis, a pesquisa foi elaborada a partir de uma matriz analítica correlacionando, em cada bioma, os eventos climáticos extremos (temperatura e precipitação) e cinco setores de impactos: agricultura/alimento, água, biodiversidade, saúde humana e condições de moradia. Os resultados apontam para a confirmação de estudos técnicos existentes. No caso da água, as comunidades mencionam a escassez de água para consumo humano e atividade agrícola durante períodos de estiagem periódicos, causando problemas de insegurança alimentar. Em relação à biodiversidade, algumas comunidades já sinalizam para a redução de espécies da flora e fauna local. Quanto à moradia, as comunidades de região metropolitanas mostram que as chuvas intensas, associadas ao movimento das marés provocam alagamentos severos, ocasionando perda ou danos as moradias. Os danos à saúde são visíveis em idosos e crianças pelo aumento da temperatura, com mais doenças e principalmente problemas respiratórios.


http://www4.planalto.gov.br/consea/noticias/noticias/2012/maio/entrevista-conselheira-gleyse-fala-sobre-mudancas-climaticas

B)Além das mudanças climáticas constantes,a natureza vai mudar também como um modo de adaptação ,ocasionando vários tipos de catastrofes como furacões , enchentes constantes ,deslizamento de terra ,também haverá aumento dos alimentos devido a falta de agricultura ocasionado mais ainda a fome nos países mais pobres o derretimentos das calotas polares juntamente com o aumento do nivel do mar, são as principais consequências de acordo com o nivel social econômico de cada país.Como por exemplo, países com baixa umidade do ar podem ter um aumento inesperado,lugares desertos tende a ter ainda mais desertificação do solo devido ao aumento de agrotoxicos prejudiciais ao solo entre outros .

Mas ainda não se sabe com certeza como se dará o aquecimento do planeta, ou seja, qual será o padrão de elevação da temperatura. O fator agravante desse fenômeno é que o aquecimento não se dará na mesma intensidade nas diferentes latitudes. Espera-se um aquecimento menor nos trópicos (+2ºC) e maior à medida que se avança em direção aos pólos (+7ºC no Círculo Polar Ártico).
O aumento da temperatura terá como conseqüência mudanças no padrão de circulação atmosférica e, com isso, alterações no regime de chuvas. Especula-se que as áreas atualmente úmidas poderão vir a se tornar mais úmidas e regiões hoje áridas poderão se tornar ainda mais áridas. Haverá, portanto, mudanças consideráveis na biota do planeta .
A velocidade de mudança do clima será de dez a cem vezes mais rápida do que a verificada na última transição glacial-interglacial. Com isso, muitas espécies poderão não conseguir migrar com a rapidez necessária para acompanhar a mudança climática e virem a se extinguir. Estima-se, por exemplo, que o aquecimento de 1ºC no limite mais quente e seco de uma floresta fará com que cerca de 100 a 200 milhões de hectares se transformem em savanas. Espera-se que o aumento de CO2 na atmosfera provoque um aumento da fotossíntese e, conseqüentemente, do crescimento vegetal. Mas suspeita-se de que esse fato não deverá beneficiar a flora, já que em comunidades naturais as plantas dependem de outros fatores, como nutrientes e água. Apenas em locais com farto suprimento de nutrientes e água é que poderá haver aumento do crescimento vegetal em resposta aos maiores volumes de CO2 na atmosfera.

http://www.ecolnews.com.br/efeitoestufa/impactos.htm

Yasmin Araújo
flower

yasmin araujo

Mensagens : 4
Data de inscrição : 07/08/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

resposta a tarefa n° 2

Mensagem  Bianca em Qua Set 05, 2012 11:07 pm

a) Cada região possui alterações no clima, consideradas mudanças climáticas. Cada região possui suas características como: climas frios, quentes, úmidos e entre outros, mas infelizmente são alterados, devido os problemas ambientais, causados pelo próprio homem. A uma grande desigualdade entre os países mais desenvolvidos e os mais ''pobres'', países desenvolvidos são capazes de produzirem mais poluições, devido o fato de possuírem uma grande tecnologia de indústrias, liberando gases poluentes e trazendo alterações no clima, mas acabam prejudicando as regiões que menos contribuem para esse processo de poluição, ou seja, as regiões de baixa renda será o principal alvo para mudanças climáticas.

''Nos países desenvolvidos, a tendência é: a produção agrícola deve crescer 8%, já que as mudanças climáticas deverão tornar mais longos os ciclos de crescimento das culturas agrícolas e aumentar as precipitações em regiões com latitudes elevadas. As perdas na agricultura tendem não só a aumentar a fome, mas também a agravar as desigualdades entre países ricos e pobres, e as desigualdades internas nos países mais pobres. As mudanças climáticas impactarão a produtividade de espécies importantes para a alimentação das áreas mais pobres do mundo, como grande parte da Ásia, da África Subsaariana, o Caribe, a América Central e do Sul, onde vive 95% do total mundial de pessoas desnutridas.''

http://uc.socioambiental.org/agrobiodiversidade/agrobiodiversidade-e-mudan%C3%A7as-clim%C3%A1ticas

b) Devido à inovação adaptadas pelos países desenvolvidos, as mudanças climáticas não os prejudicam tanto, pois possui um grande desenvolvimento econômico e tecnológico, dando facilidade para que não sejam afetados. Todas as suas poluições de fabricas e automóveis, afetam as regiões que não possuem inovações para se defender, como e o caso das regiões mais pobres, e muitas vezes impedido suas produções agrícolas, ou seja, prejudicando seus desenvolvimentos econômicos. As produções agrícolas são uma das causas mais preocupantes nos países atingidos por essas mudanças climáticas, pois sendo ela atingida a população não terá alimentos. Um dos países que sofre uma queda de desenvolvimento na agricultura e a Índia

A saúde humana será afetada pelas mudanças climáticas devido não apenas a essas ocorrências, mas também como resultado do aumento de doenças transmitidas por vetores. Outra área de profunda preocupação para a sociedade indiana diz respeito aos impactos da mudança do clima na agricultura. Já há indícios crescentes, com base nas pesquisas em andamento, de que algumas safras agrícolas estão diminuindo por conta da mudança climática. Essa tendência certamente aumentará se a sociedade global não conseguir mitigar as emissões de gases de efeito estufa de modo adequado. A Índia tem um histórico notável de progresso agrícola, principalmente como resultado da revolução verde, porém, a mudança climática representa um novo desafio. O principal objetivo das políticas do setor agrícola é garantir alimentos e nutrição adequados para 1,2 bilhão de pessoas atualmente e a um número maior nas próximas uma ou duas décadas. Sendo assim, a segurança alimentar é uma grande preocupação neste país.

http://www.embaixada-americana.org.br/HTML/ijse0909p/pachauri.htm

Rolling Eyes

Bianca

Mensagens : 11
Data de inscrição : 09/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

atividade forum 3 ano

Mensagem  nathalia em Qua Set 05, 2012 11:10 pm

A) Em cada lugar, estado ou regiao tem suas caracteristicas climaticas diferentes, tendo climas quente ou frio, e leva-se em consideração a epoca do ano em que se encontra.“Williams Pinto Marques Ferreira - As mudanças climáticas ocorrem de forma desigual, e muitos fatores contribuem para que ocorram tais diferenças, entre eles, podem ser destacadas as características próprias de cada região e sua localização em relação ao continente, distância do Equador etc. Todavia, de maneira bem simplificada, pode-se destacar como uma das principais causas da desigualdade do aquecimento global no planeta, a distribuição desigual dos continentes. O hemisfério sul apresenta menos porção continental e maior volume de água dos oceanos, os quais influenciam no volume de vapor d’água atmosférico, e contribuem para uma maior estabilização térmica desse hemisfério. De maneira geral, as altas latitudes, em ambos os hemisférios, serão as primeiras a ser afetadas devido, principalmente, à incidência de radiação solar ser desigual ao longo do ano, fazendo com que essas áreas possam se tornar futuramente mais úmidas. As regiões subtropicais poderão se tornar mais secas, e as regiões tropicais, por serem as mais estáveis, principalmente em termos de temperatura, deverão ser, possivelmente, as últimas a sofrerem consequências das mudanças climáticas.”
:!: w w w . ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_c[/font]ontent&vi[/size]ew=article&id=28[/color]67&secao=[/justify]311[/b]
B) Além das mudanças climáticas constantes,a natureza vai mudar também como um modo de adaptação ,ocasionando vários tipos de catastrofes como furacões , enchentes constantes ,deslizamento de terra ,também haverá aumento dos alimentos devido a falta de agricultura ocasionado mais ainda a fome nos países mais pobres o derretimentos das calotas polares juntamente com o aumento do nivel do mar.O aumento da temperatura terá como conseqüência mudanças no padrão de circulação atmosférica e, com isso, alterações no regime de chuvas. Especula-se que as áreas atualmente úmidas poderão vir a se tornar mais úmidas e regiões hoje áridas poderão se tornar ainda mais áridas. Haverá, portanto, mudanças consideráveis na biota do planeta .
by:nathalia sousa linda :rendeer:

nathalia
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Resposta

Mensagem  yagnnsvignoli em Qui Set 06, 2012 9:38 pm

a) Não há dúvida que existe uma enorme desigualdade, especialmente quando é colocado a questão do capital, pois todos nós sabemos que desde a famosa revolução industrial o que move o mundo é os interesses capitalistas, o fortalecimento da economia e política de cada país. Infelizmente para se obter lucro e poder os mais fortes deixaram de lado as questões ambientais e visaram mais os lucros. Citando Fernando Almeida:

"Seria inútil pensar em eliminar a extrema pobreza que ainda afeta 1 bilhão dos habitantes do planeta e criar condições objetivas para incluir no mercado dois terços da população mundial, se não formos capazes de controlar os efeitos devastadores do aquecimento global. Secas, enchentes, perda da biodiversidade, incêndios, redução da produção de alimentos são alguns impactos ambientais, sociais e econômicos previsíveis. A parcela menos favorecida da população seria (ou será) afetada de forma mais intensa e dramática."(insegurança climática - Fernando Almeida)

b) Com toda certeza há diferenças, pois o nível de desenvolvimento de cada país conta com as consequências da destruição do nosso planeta, não esquecendo-se dos interesses econômicos de cada um em relação ao seu próprio desenvolvimento. Citando Luci Hidalgo Nunes

" Os processos físicos e as formas de vida atuais do planeta Terra existem devido às características da atmosfera terrestre, que provê ar, água e suprimento de alimentos adequados. Ademais, diversas atividades econômicas, a arquitetura e até o nosso vestuário são condicionados, em alguma extensão, pelo clima.
Apesar da dependência do ser humano em relação às condições da atmosfera, a compreensão do sistema climático e suas interações é ainda parcial, visto que os processos atmosféricos são muito variáveis, sensíveis e de difícil percepção, devido à complexidade das interações entre o sol, a atmosfera, os oceanos, o gelo, o relevo, as terras emersas, a vegetação e os seres vivos "(NUNES, 2002).
Mudanças climáticas: impactos
físicos e socioeconômicos
*¹ Luci Hidalgo Nunes, professora do Departamento de Geografia, na Universidade Estadual de Campinas, mestre em
Geografia e doutora em Engenharia de Transporte.
avatar
yagnnsvignoli

Mensagens : 4
Data de inscrição : 15/08/2012
Idade : 22

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TAREFA nº2

Mensagem  Aristides dos Reis em Qui Set 06, 2012 10:43 pm


A -As mudanças climáticas e presente em todo planeta,mas pode ser notar essas alterações em áreas com mais intensidade,sendo presente em áreas com tradição de desenvolvimento,que durante o passar dos anos aumentou a emissão desses poluentes para acompanhar a produção mundial ,ou seja grandes áreas urbanas.
Foi a partir da revolução industrial que a poluição passou a constituir um problema para a humanidade. É lógico que já existiam exemplos de poluição anteriormente, em alguns casos até famosos (no Império Romano, por exemplo). Mas o grau de poluição aumentou muito com a industrialização e urbanização, e a sua escala deixou de ser local para se tornar planetária. Isso não apenas porque a indústria é a principal responsável pelo lançamento de poluentes no meio ambiente, mas também porque a Revolução Industrial representou a consolidação e a mundialização do capitalismo, sistema socioeconômico dominante hoje no espaço mundial. E o capitalismo, que tem na indústria a sua atividade econômica de vanguarda, acarreta urbanização, com grandes concentrações humanas em algumas cidades. A própria aglomeração urbana já é por si só uma fonte de poluição, pois implica numerosos problemas ambientais, como o acúmulo de lixo, o enorme volume de esgotos, os congestionamentos de tráfego etc.
http://www.coladaweb.com/biologia/ecologia/a-revolucao-industrial-e-a-poluicao
B- As mudanças climáticas têm diferentes níveis de impacto, sendo influenciadores no nível do problema, as diferenças socioeconômicas. Sendo assim os países pobres não conseguiram custear os danos das enchentes e dos longos períodos de secas, como a saúde da população, ou seja, os grandes afetados será os que menos contribuíram na alteração climática.
Para o professor José Matias Pereira, do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Brasília, um importante fator está sendo deixado de fora da discussão internacional: os países menos desenvolvidos. “Os países intermediários e de ponta possuem perspectivas para a mitigação e a adaptação do problema, mas os mais pobres não têm condições de acompanhar esse movimento. E são eles que irão pagar a conta das mudanças climáticas”, afirma Matias.
http://www.mudancasclimaticas.andi.org.br/node/566?page=0,1

afro

avatar
Aristides dos Reis

Mensagens : 8
Data de inscrição : 07/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

RESPOSTA

Mensagem  Aristides dos Reis em Qui Set 06, 2012 10:48 pm

a) Os fatores que mais contribuem para as bruscas mudanças climáticas que vivemos hoje, não é novidade para ninguém, até mesmo porque é um assunto muito comentado na mídia, por ser considerado de alto risco para os seres vivos. Sabemos então que os principais motivos desse acontecimento são as descargas de poluentes expelidos de indústrias, carros, usinas, do desmatamento, queimas de diversos materiais e outros fatores. Tendo isso em mente, relacionar os problemas com os maiores emissores não é difícil. Os países desenvolvidos possuem maior necessidade de exploração e consumo para manter o nível alto de capitalismo que vivenciam, essa é a desculpa para tamanha destruição. Porem, alem de tudo ainda possuem alta tecnologia , capaz de imuniza-los do problema que eles mesmos causam, está ai o motivo pelo qual os países subdesenvolvidos serem os que mais sofrem com as ações do países desenvolvidos, porque eles não possuem tantos recursos eficazes que os ajudem a combater esse mal.

b)Como já foi citado na resposta anterior, os países desenvolvidos que são os maiores responsáveis pelos desastres ambientais devido a intensa e exagerada forma de extrair os bens visando somente o lucro, afeta diretamente e em escala maior os países subdesenvolvidos que não possuem de tecnologia eficaz para a solução dos problemas, como tem o países desenvolvidos.

Esta frase resume bem a linha de raciocínio tomada :
“Os países mais vulneráveis são menos
capazes de se protegerem. Também
contribuem menos para as emissões
globais de gases com efeito de estufa.
Sem qualquer acção, irão pagar um preço
elevado pelas acções dos outros.”
Kofi Annan
http://hdr.undp.org/en/media/HDR_20072008_PT_chapter2.pdf

JAENE REIS affraid
avatar
Aristides dos Reis

Mensagens : 8
Data de inscrição : 07/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TAREFA nº2

Mensagem  Lgon em Qui Set 06, 2012 11:29 pm

A) É notável que as mudanças climáticas possuem níveis diferentes em diversas regiões do mundo, o que é complicado é justamente os países que menos poluem são e serão os mais afetados com as mudanças climáticas, talvez seja porque esses tem menos condições de se manterem e consequentemente com menos recursos, e também por estarem na maioria próximos a Linha do Equador, já os países mais desenvolvidos no qual possuem uma condição superior acabam aproveitando de seus poderes e procuram só desenvolvimento econômico e não pensam nas consequências, ou melhor, até pensam, mas não de uma forma efetiva. As causas dessas mudanças são diversas, como desmatamento, poluição em geral, entre outros.
"A questão das mudanças climáticas globais é um dos maiores desafios socioeconômicos e científicos que a humanidade terá que enfrentar ao longo deste século. Os três recentes relatórios do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) publicados em 2007 indicam que, do ponto de vista científico, temos mais de 95% de chance de concluir que as mudanças climáticas já estão acontecendo e que são originadas, em grande medida, pelas atividades antropogênicas"
mudancasclimaticas.andi.org.br/content/mudancas-climaticas-globais-cenarios-para-o-planeta-e-amazonia

B) As consequências das mudanças climáticas se intensificam em países mais pobres, isso acontece devido a situação do país, pois sabemos que os mesmos não tem condições de avançarem na sua economia e muito menos de iniciarem tecnologias capazes de diminuírem esses efeitos climáticos que podem se agravar ao longo do tempo.
"As mudanças climáticas ocorrem de forma desigual, e muitos fatores contribuem para que ocorram tais diferenças, entre eles, podem ser destacadas as características próprias de cada região e sua localização em relação ao continente, distância do Equador etc. Todavia, de maneira bem simplificada, pode-se destacar como uma das principais causas da desigualdade do aquecimento global no planeta, a distribuição desigual dos continentes. O hemisfério sul apresenta menos porção continental e maior volume de água dos oceanos, os quais influenciam no volume de vapor d’água atmosférico, e contribuem para uma maior estabilização térmica desse hemisfério."
ecodebate.com.br/2009/10/22/instabilidade-deve-marcar-mudancas-climaticas-entrevista-com-williams-marques-ferreira/


Lucas Gonçalves

Lgon

Mensagens : 1
Data de inscrição : 06/09/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TAREFA nº2

Mensagem  profleo em Sex Set 07, 2012 2:57 pm

TÓPICO FECHADO!


OBRIGADO POR SUA PARTICIPAÇÃO
avatar
profleo
Admin

Mensagens : 87
Data de inscrição : 31/07/2011
Idade : 30

Ver perfil do usuário http://geografiacsa.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TAREFA nº2

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum